Como sua marca ou agência pode ser criativa no Facebook

Para melhorar ainda mais a qualidade de suas publicações, confira essa entrevista com Pablo Tajer, Creative Strategist do Facebook para o Cone Sul.

Como ser criativo no Facebook
Como sua marca ou agência pode ser criativa no Facebook

 

Veja 6 dicas do Pablo Tajer.

  1. Tente parecer uma pessoa, não uma empresa
    O Facebook é uma plataforma que apresenta diferentes desafios para a publicidade tradicional e é importante que você tenha isso em mente ao criar suas publicações e anúncios. Quanto mais você se parece com amigos de seus clientes, mais atenção você vai receber. Por exemplo, se você tem um restaurante, em vez de criar um conteúdo com um fundo estático e a foto de um prato, é melhor se você usar a perspectiva de uma pessoa, que é mais atraente e menos “publicitário”. O objetivo é que seus clientes não percebam a diferença entre conteúdos criados por marcas e por amigos em seus Feed de notícias.
  2. Conte uma pequena história em cada publicação
    No Facebook as pessoas contam situações que acontecem com elas. Sua marca deve fazer o mesmo. Seu conteúdo tem quer contar histórias e/ou momentos dos produtos e serviços que você está oferecendo. Isso é a chave para que as pessoas se identifiquem com sua marca.
  3. Pense criativamente em quem podem ser seus potenciais clientes
    O Facebook tem ferramentas que te ajudam a segmentar e aprender mais sobre os interesses de seu público. Quanto mais informações você tiver sobre o seus potenciais clientes, melhor. Conhecer os gostos e desejos dessas pessoas vai te ajudar a sair do convencional e a criar conteúdos que atraiam quem ainda não tem interesse pelo seu produto ou serviço. Por exemplo, se você tem uma empresa que vende raquetes de tênis, você pode segmentar seu público interessado em cuidados de saúde e não necessariamente direcionar a mensagem somente para pessoas interessadas no esporte. Alguém que está interessado em sua saúde pode ser um cliente em potencial para você e quer comprar uma de suas raquetes.
  4. Preste atenção na qualidade das imagens
    Hoje existem muitas ferramentas para criação de conteúdo atraente e bonito. Por exemplo, os filtros de Instagram. Não é necessário ter um fotógrafo profissional para tirar uma bela foto. Com uma boa imagem e o filtro certo é possível conseguir uma publicação de qualidade. Por outro lado, você deve se dedicar a criação de conteúdo próprio para que tenham uma cara mais real e se pareçam menos com fotos genéricas de bancos de imagens.
  5. Pense sempre no visual dos conteúdos para dispositivos móveis
    Cada vez mais pessoas acessam o Facebook por meio de um dispositivo móvel — celulares, smartphones, tablets. Ao criar uma publicação é importante observar as limitações destes dispositivos e pensar na melhor alternativa. Por exemplo, ao escolher uma foto do seu perfil teste seu visual num dispositivo móvel. Se a imagem for muito grande, provavelmente ficará cortada, o que gera uma má experiência para quem vê.
  6. Evite mensagens como “Clique em curtir se gostou do que viu”
    Se o conteúdo é atrativo, as pessoas naturalmente vão clicar em curtir, comentar ou compartilhar. A primeira barreira é que você deve propor a quebrar a indiferença das pessoas com oi seu conteúdo e a melhor maneira de fazer isso é usando sua criatividade.

Esse artigo é uma reprodução da entrevista que Pablo Tajer concedeu ao blog do Facebook.

Abraço

 

Modelo colaborativo, gestão horizontal

O modelo de gestão horizontal é de uma comunidade engajada que quer fazer a diferença, contribuir e colaborar.

Veja alguns aspectos fundamentais para quem vai trabalhar em empresas com este modelo de gestão:

8 passos para se dar bem em um mundo sem chefes

Sede da Vagas Tecnologia: modelo colaborativo, gestão horizontal
Sede da Vagas Tecnologia: modelo colaborativo, gestão horizontalAdministração do tempo
  1. Administração do tempo
    “Administrar bem o tempo faz parte do guia de sobrevivência em uma empresa com modelo de gestão horizontal”, diz Erica. Afinal, ninguém vai pedir ou determinar a sua agenda do dia, semana ou mês.
  2. Priorizar projetos
    Demandas simultâneas podem aparecer e cabe ao profissional separar o que é urgente e importante daquilo que é importante e não-urgente. Você não terá um gestor para perguntar qual é a prioridade.
  3. Automotivação
    Nem bônus por desempenho, nem aumento de salário por mérito. Segundo Erica, a equipe do Vagas entende é que atrelar a percepção de sucesso a recompensas financeiras é artificial e não sustentável. “Nós temos uma visão diferente em relação a isso. O dinheiro é uma consequência de um trabalho bem feito, não um fim”, diz. Da mesma forma, sucesso no Vagas é ter prazer no que faz e, não, receber um gordo bônus no fim de ano.
  4. Comunicação
    Segundo Érica, a atenção à forma de se comunicar é ainda mais crítica em uma companhia de gestão horizontal. “O acesso à informação é maior, o ambiente é aberto e a possibilidade de ruído na comunicação aumenta”, diz.
  5. Gerenciamento de conflitos
    Em caso de confusão, não há um gestor a quem recorrer. A solução parte do profissional envolvido e, por isso, é necessário saber administrar e solucionar os conflitos. Lembre-se: os conflitos não vão embora com o sumiço dos chefes.
  6. Proatividade
    Iniciativa é uma das qualidades mais essenciais neste contexto. Sabe a tal visão de “dono do negócio”? Em uma estrutura sem hierarquia, totalmente colaborativa, é isso que se espera de um profissional.
  7. Pensamento estratégico
    Do operacional ao estratégico em questão de minutos. É assim a rotina de quem trabalha em uma empresa sem chefes. Em um dia temos atividades de estagiário a ações de presidente de empresa”, explica Erica. Assim se dá bem quem está preparado para encarar todas as fases dos processos, desde o desenho de um projeto à sua execução.
  8. Criatividade
    Problemas são oportunidades para exercer a criatividade e tentar encontrar uma solução nova. “E justamente por isso, o erro é visto como parte do processo. Errar não é tão grave”.

Esse artigo é um resumo da notícia de http://info.abril.com.br/

Abraço

Porque você dever parar de usar o noreply@

Recebemos inúmeros e-mails todos os dias, muitos com o tal de noreply@empresa.com.br, esses e-mails passam como indesejados e acabam por tomar o rumo da lixeira fazendo com que empresas percam oportunidades de negócios por usar essa forma de comunicação fria e sem rosto.

Use e-mail pessoal e com apelo “humano” para gerar negócios, vivemos em um  tempo onde estamos cada vez mais afogados com um mar de e-mail a cada minuto.

Algumas pontos que vejo como positivo em optar por não utilizar o @noreply.

  • Se conectar de forma pessoal com os usuários, aumenta o envolvimento, eles sabem que você se importa e que está lhe ouvindo, com isso, eles estarão mais engajados e com maior potencial na tomada de decisão, por exemplo comprar seu produto, baixar seu aplicativo ou participar do seu projeto.
  • Obter feedback  é o ingrediente principal para criar uma startups de sucesso e/ou empresas. Faça pergunta para os seus usuários e permite que eles saibam que há uma porta aberta para o feedback.
  • Os usuários esperam noreply@ mas quando recebem um e-mail pessoal, uma impressão é feita e atenção certamente é maior do que algo automatizado.

Empresas precisam entender que a internet não tem que ser sem rosto, alma e possuir uma comunicação fria. Precisamos parar de se comunicar com os robôs. Nada é mais desanimador do que receber e-mails de automatizados,

Pessoas adoram conversar com pessoas reais!

Abraço!:)

Analista de SEO e CEO do Souwebpel